Skip to content

Quem sou eu?

Quem sou eu?

Quando me perguntam quem sou eu ou quando penso quem sou, gosto de responder que estou Hugo Bernardo. Sinto que devo responder desta forma, uma vez que desde que iniciei o meu processo de mudança em outubro de 2018, tenho passado por vários processos de transformação. O que sou hoje, é sempre diferente de ontem e será ainda mais diferente do amanhã no meu processo espiritual que me conduz na minha evolução profissional, familiar e relacional.

Na verdade, cada vez mais não sou nada e sou tudo!

Sobre

Quando me perguntam quem sou eu ou quando penso quem sou, gosto de responder que estou Hugo Bernardo. Sinto que devo responder desta forma, uma vez que desde que iniciei o meu processo de mudança em outubro de 2018, tenho passado por vários processos de transformação. O que sou hoje, é sempre diferente de ontem e será ainda mais diferente do amanhã no meu processo espiritual que me conduz na minha evolução profissional, familiar e relacional.

Na verdade, cada vez mais não sou nada e sou tudo!

Sobre

Na minha infância/adolescência pratiquei desporto até aos 18 anos, que serviu de inspiração para ingressar na licenciatura de Professor de Educação Física que concluí em 2001. Desde então, leciono aulas de educação física a crianças dos 6 aos 12 anos.

Na minha infância/adolescência pratiquei desporto até aos 18 anos, que serviu de inspiração para ingressar na licenciatura de Professor de Educação Física que concluí em 2001. Desde então, leciono aulas de educação física a crianças dos 6 aos 12 anos.

Sobre

Em 2018 percebi que era importante dar um rumo diferente à minha forma de viver, uma vez que desconhecia quem eu era e não gostava de mim. Na verdade, não me sentia gente e era muito imaturo, arrogante e pouco humilde na forma como me relacionava comigo e com os outros.

Assumi o compromisso de ser melhor ser humano.

Sobre

Em 2018 percebi que era importante dar um rumo diferente à minha forma de viver, uma vez que desconhecia quem eu era e não gostava de mim. Na verdade, não me sentia gente e era muito imaturo, arrogante e pouco humilde na forma como me relacionava comigo e com os outros.

Assumi o compromisso de ser melhor ser humano.

Levantei o braço e pedi ajuda terapêutica. Quanto mais aprofundava o meu autoconhecimento, através de várias terapias, mais me ia apercebendo o quanto me identificava com o caminho holístico. Neste aprofundamento fui adquirindo ferramentas de respiração (Bioflow), Yoga, Meditação, Massagem Shiatsu Terapêutico, Chi-Kung, Terapeuta Educacional e Reiki que permitiram ajudar-me e, claro, fui sentindo que também poderia ajudar outras pessoas.

Levantei o braço e pedi ajuda terapêutica. Quanto mais aprofundava o meu autoconhecimento, através de várias terapias, mais me ia apercebendo o quanto me identificava com o caminho holístico. Neste aprofundamento fui adquirindo ferramentas de respiração (Bioflow), Yoga, Meditação, Massagem Shiatsu Terapêutico, Chi-Kung, Terapeuta Educacional e Reiki que permitiram ajudar-me e, claro, fui sentindo que também poderia ajudar outras pessoas.

Atualmente, tenho vindo a sentir que me falta alguma coisa. O gosto de estar com crianças nunca se perdeu e, apesar de lidar com elas todos os dias, não me sinto totalmente preenchido a lecionar aulas de educação física. Passo a passo, vou percebendo o potencial da criança e o quanto será importante, num mundo tão dual, “agarrar” os pequenotes e ajudar a mantê-los despertos para o amor, não só o amor-próprio como também o amor pelo todo.

Atualmente, tenho vindo a sentir que me falta alguma coisa. O gosto de estar com crianças nunca se perdeu e, apesar de lidar com elas todos os dias, não me sinto totalmente preenchido a lecionar aulas de educação física. Passo a passo, vou percebendo o potencial da criança e o quanto será importante, num mundo tão dual, “agarrar” os pequenotes e ajudar a mantê-los despertos para o amor, não só o amor-próprio como também o amor pelo todo.

Sobre

Se me perguntarem: acreditas que um sistema educativo que quer dar igual para todos, funciona?

Diria que tenho muitas dúvidas. Somos todos iguais, somos todos diferentes. Acredito sim que o futuro deste sistema educativo passará por dar a mesma importância ao desenvolvimento pessoal que damos às restantes áreas e, quando isso acontecer, deixaremos de ter alunos, apenas, bem desenvolvidos intelectualmente, mas que também aprenderam a escutar o seu corpo, as suas emoções, os seus pensamentos e a respirar de forma consciente.

Sobre

Se me perguntarem: acreditas que um sistema educativo que quer dar igual para todos, funciona?

Diria que tenho muitas dúvidas. Somos todos iguais, somos todos diferentes. Acredito sim que o futuro deste sistema educativo passará por dar a mesma importância ao desenvolvimento pessoal que damos às restantes áreas e, quando isso acontecer, deixaremos de ter alunos, apenas, bem desenvolvidos intelectualmente, mas que também aprenderam a escutar o seu corpo, as suas emoções, os seus pensamentos e a respirar de forma consciente.

Por isto e porque na minha infância desejei sempre ser mais olhado, compreendido e acarinhado a nível familiar e escolar, senti de criar um projeto que permitisse ir ao encontro do meu sonho de escutar as crianças e ajudá-las a se manterem na unidade na sua evolução, em verdade e amor.

E, ao estar na escola todos os dias, percebi que por aqui seria o primeiro passo para concretizar esse sonho!

Sobre

Por isto e porque na minha infância desejei sempre ser mais olhado, compreendido e acarinhado a nível familiar e escolar, senti de criar um projeto que permitisse ir ao encontro do meu sonho de escutar as crianças e ajudá-las a se manterem na unidade na sua evolução, em verdade e amor.

E, ao estar na escola todos os dias, percebi que por aqui seria o primeiro passo para concretizar esse sonho!
Sobre

Assim, actualmente, pelo facto de estar na escola a desenvolver um projeto de Mindfulness Infantil, foi a rampa de lançamento para me dar a coragem e criar o atual projeto que estou a partilhar agora contigo- Viver e Fazer Viver | Mindfulness Infantil ® e, um dos meus sonhos, é levar este projeto a outras escolas públicas e privadas e também outras instituições do nosso país através de parcerias conscientes.

Assim, actualmente, pelo facto de estar na escola a desenvolver um projeto de Mindfulness Infantil, foi a rampa de lançamento para me dar a coragem e criar o atual projeto que estou a partilhar agora contigo- Viver e Fazer Viver | Mindfulness Infantil ® e, um dos meus sonhos, é levar este projeto a outras escolas públicas e privadas e também outras instituições do nosso país através de parcerias conscientes.

VIVER E FAZER VIVER

VIVER E FAZER VIVER

O nosso compromisso é promover o bem-estar emocional e intelectual das crianças através do mindfulness infantil. Junte-se a nós nesta jornada de descoberta e crescimento! Para mais informações, entre em contacto comigo.

CONSULTAS PRESENCIAIS E ON-LINE
Terapeuta educacional Hugo Bernardo

Informações:

+351 9 665-86961

Siga-nos

Website desenvolvido por AGENCIA DRACHEN

Bem vindo à página “Viver e Fazer Viver”. Em que posso ajudar?